Hotéis no Exterior

Quarta-Feira, 03 de Agosto de 2011
Hotéis no Exterior

Quando se viaja ao exterior, a negócios, a passeio, férias ou lazer, não importa, as pessoas representam a si próprias e também o seu país de origem: cultura, comportamento, atitudes, educação, respeito, elegância, etc. são observadas, analisadas e julgadas. Assim, mesmo anônimas, as pessoas devem lembrar que a responsabilidade com a imagem nunca está de folga ou de férias.
Ao perguntar em alguns hotéis quais eram as maiores dificuldades ou os piores constrangimentos com hóspedes brasileiros as respostas foram as seguintes:

1 – A falta de paciência e discrição para aguardar o atendimento para o seu registro pela recepção. Principalmente, quando estão em grupos, inúmeras vezes, falam alto ou dão gargalhadas exageradas atrapalhando a comunicação entre as outras pessoas. Esse comportamento passa a impressão que se quer se mostrar ou chamar a atenção. Chama sim: de forma negativa.

2 – Nos países de língua espanhola, falar em “portunhol” achando que o interlocutor tem a obrigação de entender.

3 – Falar obscenidades, palavrões, ofensas, frases depreciativas em português sem ter o senso que pessoas próximas podem escutar e entender.

4 – Reclamações infundadas quanto à qualidade do atendimento ou dos serviços, exigindo quesitos que não correspondem à categoria econômica do hotel.

5 – Brincadeiras e intimidades exageradas no tratamento com os funcionários ou atendentes do hotel.

6 – Esquecer, ou fazer de conta que se esqueceu de retribuir com a gorjeta o uso pelos serviços extras do hotel (transporte de bagagens, lavanderia, lanches ou refeições no quarto, etc).

7 – Casais que evidentemente estão juntos há anos e que dizem que estão em lua-de-mel e descaradamente solicitam e insistem no seu “direito” a receberem presentes na forma de espumantes, mimos e descontos nas despesas.

Ora gente! Pode?

Assunto: Atitudes e Comportamentos

Voltar
Etiqueta Social - Pronta para usar

JOSUÉ INDICA: