Gafes à Mesa

Terça-Feira, 02 de Agosto de 2011
Gafes à Mesa

Fico impressionado como as pessoas conseguem cometer tantos erros, quando vão a restaurantes, cafés ou quando estão à mesa acompanhados. Outro dia estava no Babilônia, conhecido local de gastronomia em Curitiba, quando numa mesa vizinha alguns amigos pediram-me para citar algumas gafes ou deslizes comuns nesses ambientes. Pronto! Pediram bala, eu mandei fogo!

Para começar, apontei que quase todos tinham colocado seus casacos e paletós “vestindo” os encostos das cadeiras. Ora, o design ou o padrão das cadeiras deve ser mantido, pois compõe a harmonia do ambiente. O ambiente fica brega, quando se vê as cadeiras envoltas com peças de vestuário de todas as cores;

Se não há chapelaria ou local apropriado para se deixar essas peças, deve-se colocá-las sobre o assento da cadeira vazia próxima ou sobre o próprio colo;

Vários casais também entravam no restaurante com a mulher à frente do homem para escolher a mesa, quando todos sabemos que para se dirigir à mesa ou descer escadas, a mulher segue ligeiramente atrás do homem;

Observei ainda, que vários casais não estavam sentados frente a frente, como também, reforçando o erro, mesmo sentados dois a dois as mulheres estavam sentadas à esquerda do seu par, quando o correto é sentar à direita. Claro que todos sabem que o homem puxa a cadeira à sua direita para a mulher sentar e ela toma assento pelo lado esquerdo da cadeira;

Quando se vai comer alguma coisa, e o casal não está frente a frente, é obvio que fica ridículo ficar mastigando e girando o escoço para olhar o interlocutor. Para encerrar, aí vai uma pequena lista de outros erros que acontecem com freqüência:

Falar de boca cheia;
Derrubar copos, talheres e guardanapos;
Aspirar a sopa;
Abaixar a cabeça muito próximo ao prato;
Abraçar o prato. Quando o prato está à nossa frente, apenas os punhos e as mãos ficam sobre a mesa;
Começar a comer antes de todos estarem servidos. Afinal, as pessoas estão juntas;
Não se brinca ou se manipula os objetos que estão à mesa;
Usar pratinhos como apoio de resíduos (o famoso “cemitério”);
Quando se segura o copo ou a xícara, nenhum dedo deve ser levantado;
Não se assoa o nariz à mesa. Aliás, também não se funga, não se boceja, não se arrota e não se tosse. Pedese licença e se vai ao toalete resolver o problema;
Se alguém ficar com algum resíduo nos lábios ou nos dentes, deve-se alertar, mas sem rir ou debochar;
Para assear os dentes vaise ao toalete. Não se usa fio dental, dedos ou palitos à mesa para fazer a higiene. Parece absurdo, mas tem gente que faz;
Não se enxágua a boca com o líquido que se estiver ingerindo;
Não se usa a toalha da mesa para limpar os dedos ou os lábios;
Não se usa faca para cortar o que pode ser cortado facilmente com o garfo ou a colher;
Não se usa o celular à mesa, quando se está acompanhado. É de muito mau gosto, inconveniente e grosseiro ter de ficar olhando
para o teto enquanto a outra pessoa tagarela ao telefone. Pior ainda, é fazer de conta que não está ouvindo a conversa;
Trata-se garçons e funcionários com cortesia e respeito. Nada de chamá-los de chefia, amigão ou similares;
Em turmas, não se deve comportar como torcida em campo de futebol. Incomoda;
Não fique bêbado, não durma sobre a mesa ou sobre o balcão. Sua imagem ficará detonada;
Paga-se a conta conforme o sistema da casa. Se não gostar é simples: Não volte!

Assunto: Gafes

Voltar
Etiqueta Social - Pronta para usar

JOSUÉ INDICA: