COMO SER ELEGANTE À NOITE!

Terça-Feira, 15 de Abril de 2014
COMO SER ELEGANTE À NOITE!

Nos bares, boates, baladas, restaurantes, festas ou em outros lugares noturnos, o vestuário, o comportamento e as atitudes das pessoas sempre dirão o que e quem elas são!
Algumas pessoas procedem à noite como se estivessem no último momento alegre de suas vidas e como se no dia seguinte nada mais importasse. Importa, sim! No dia seguinte, a vida prossegue exatamente como ela foi construída e como de fato ela é: trabalho, família, amigos, etc.
Assim, o correto é agir com cautela, bom senso, educação, respeito e elegância. O melhor é evitar incomodar as demais pessoas ou detonar a própria imagem.
Podem-se citar algumas situações que no dia seguinte deveriam deixar os seus personagens constrangidos e com vontade de sumir da cidade:

1. Desrespeitar a fila! Mesmo que os amigos já estejam à frente na fila, não significa que se tem o direito de se anexar a eles e passar para trás quem chegou antes. Agir assim é para “caras de pau”!

2. Questionar ou “criar caso” em relação à entrada exclusiva e mais cômoda para aquelas pessoas comumente denominadas de “vips”. Fazer isso mostra desinformação! Os ambientes noturnos não podem depender só da eventual presença daqueles que raramente comparecem ao local. Qualquer pessoa pode ter esse aparente “status” ou privilégio, desde que façam parte do “clube de bebidas” ou tenham uma frequência assídua àquele espaço ou, ainda, sejam pessoas cuja presença reconhecidamente serve de referência ou atrativo para muitas outras pessoas e amigos. Na verdade, os bares e baladas dependem dessa clientela, cuja presença fortalece o nome, a confiança e a credibilidade do seu produto.

3. Pressionar para ser priorizado na liberação de mesa ou ser ríspido com as hostess se aproveitando do fato das mesmas serem mulheres, é falta de educação e de gentileza! Ao entrar em locais lotados, deve-se aguardar a vez com paciência e educação. Provavelmente, muitas pessoas só querem estar ali porque é um local cheio de gente e de oportunidades para contatos. Então, é preciso aguardar!

4. Tratar mal aos funcionários que atendem nesses locais, sabendo-se que eles não podem reagir, mostra prepotência e despreparo pessoal, emocional e social! Ninguém deve se prevalecer de condição alguma para exercer poder sobre pessoas que estão fazendo o seu trabalho profissional.

5. Nominar porteiros, garçons, promoters, seguranças e gerentes de “amigão”, “cara”, “chefia”, “campeão“ ou outras grosserias, é gafe! O correto é chamar pela função ou de senhor, senhora, moço ou moça.

6. Chamar garçons com um “ei” ou um “psiu” ou acenando freneticamente com a ficha de consumação, é aterrorizante!

7. “Jogar” charme para os profissionais da casa, inclusive proprietários, no intuito de obter vantagens, é vulgar!

8. Vestir as cadeiras dos bares e restaurantes com jaquetas, casacos ou paletós ou pendurar as bolsas nos encostos, é gafe! Todo ambiente tem um padrão de aparência que deve ser mantido. Discretamente, coloca-se a peça de roupa dobrada no assento de outra cadeira ou, também, da forma mais segura contra furtos ou acidentes: pendura-se no porta-bolsa ou no cabidezinho sob a mesa, ou ainda, quando houver, deixa-se no guarda-casacos.

9. Ficar “alterado” quando se está na balada. A namorada, amigo ou acompanhante tem todo o direito de fingir que vai ao toalete e fugir daquela companhia inconveniente! Afinal, ninguém merece ficar exposto pelo comportamento desagradável de alguém!

10. “Forçar a barra” para ser fotografado é brega e inútil, pois o insistente depois será deletado! Os fotógrafos e colunistas seguem normas e orientações quanto aos perfis de pessoas que devem fotografar nos bares, baladas, boates e festas.

Para o bônus de se viver em sociedade, existe o ônus de saber se comportar em diferentes ambientes!

11. Consumir bebida dos outros sem autorização ou olhar para os copos de conhecidos e, sem ser oferecido, perguntar se pode dar uma “bicadinha” é gafe e significa total falta de elegância!

12. Ficar bêbado! Arrebenta a imagem e, ainda, aumenta a probabilidade da pessoa se envolver em acidentes de trânsito. Quando alguém estiver de carona com o bêbado, convêm livrar-se dele e ir embora de táxi.

13. Beber demais e deitar a cabeça no balcão ou na mesa de um bar ou boate, além de “queimar o filme” também é fim de carreira!

14. “Destripar o mico” no toalete com a cabeça dentro do vaso sanitário é chocante e deprimente! Quem já foi visto fazendo isso, com certeza, deveria “desaparecer do mapa” por um longo tempo!

15. Pedir cigarro, sem mais nem menos, para quem não se conhece, é completamente inoportuno! Dá a impressão de que se saiu de casa sem eira e nem beira, apenas com a intenção de se aproveitar de circunstâncias. Além de mostrar que se está “fora da casinha” ainda se mostra péssima atitude!

16. Pedir celular emprestado ou pedir a um amigo que ligue para alguém que não atende ligação do seu telefone é o “fim da picada” e do bom senso! Afinal, se o ex-alguma coisa não quer falar com aquela pessoa, deve-se respeitar essa decisão. Envolver terceiros e ainda usar de subterfúgios para forçar a barra é indecente!

17. Tocar, cutucar, puxar pelo braço ou ficar encostando-se em quem não se conhece é completamente inoportuno! Fazer isso é correr um alto risco de enfrentar uma reação agressiva!

18. Enfiar a boca na orelha do outro para ser ouvido é gafe para os dois. Quando o som ambiente dificultar o entendimento do interlocutor, fala-se mais pausadamente e se tenta até uma leitura labial.

19. Assediar quem está acompanhado é de mau gosto e demonstra falta de caráter. Gente chique não faz isso!

20. Beijar “apaixonadamente” mais do que uma pessoa, pelo menos enquanto se estiver no mesmo local, além do mau gosto, mostra insegurança e carência emocional.

Atitudes e comportamentos corretos e adequados permitem que as pessoas sejam bem-vistas, bem-quistas, bem-vindas e consideradas elegantes!

21. Proporcionar cenas “calientes” em público, demonstra necessidade de plateia e de autoafirmação! Quem quiser dar uma “pegada mais forte” não precisa deitar a outra pessoa na cadeira, nem levar para o canto escuro e nem para a parede. No caso, antes que isso aconteça, basta o casal ir para o carro, motel ou um apartamento. Afinal, ninguém precisa saber “quem está pegando quem”.

22. Assediar ou agarrar “meninas” com aparência de 20 anos, quando se tem cara e jeito de mais de 50 anos (a idade não importa, todos chegarão lá) é indigno! Agir assim não faz ninguém parecer o Lobo Mau e sim, o Papai Noel! Todos que observam a cena pensam e sabem que no final vai sair caro. É trágico e constrange!

23. “Ficar” com pessoas que não se têm coragem de apresentar para amigos ou mesmo de sair para passear no shopping com elas no dia seguinte, é covarde e desolador!

24. Sair “atirando” para todos os lados, principalmente em final de noite, é ridículo! Agora, se a imagem da pessoa já for detonada mesmo, que mal haverá?

25. Pedir o número do telefone, perguntar a rede social ou o endereço, para quem não se conhece ou não se foi apresentado, claramente demonstra que qualquer pessoa serve! Precisa-se ter mais cautela, pois as consequências podem ser funestas.

26. Provocar pessoas ou procurar briga, quando se estiver acompanhado ou quando se estiver em grupo, é uma atitude covarde e idiota!

27. Mascar chicletes é sempre horrível! Pior ainda, é que na noite algumas pessoas mascam fazendo girar o maxilar. E, se fizer bola, então... Dá náuseas! Mas, o mais terrível é a quantidade de pessoas que cospem os chicletes no chão e onde outros irão pisar. E se for mulher fazendo isso... Dá pena!

28. Colocar a ficha de consumo ou de despesa, na hora de pagar a conta, nas mãos de quem acabou de se conhecer, faz parecer que aquele valor é o preço da companhia. É fim de carreira!

29. Pedir para retirar da conta o valor da entrada, principalmente em locais onde tem músicas ao vivo, artistas, cantores, bandas ou DJs é ultrajante e falta de consideração ao trabalho desses profissionais. Tem gente que briga, esperneia e faz isso! É falta de caráter!

30. Ao final da festa ou da noite, conferida a conta, reclamar do seu valor por ela estar alta, é insensatez. O cliente tem a obrigação e o dever de saber antecipadamente o preço daquilo que estiver consumindo e controlar o seu gasto. Na verdade, então paga-se e se não gostar, é simples: não precisa voltar!

Para se viver em sociedade é obrigatório ter educação e respeito. Afinal de contas todos devem querer ser bem-vindos, bem-vistos e bem-quistos!

Assunto: Atitudes e Comportamentos

Voltar
Etiqueta Social - Pronta para usar

JOSUÉ INDICA: