RELACIONAMENTOS DEPENDEM DE ESCOLHAS E QUAIS FILMES SE QUER VER!

Terça-Feira, 15 de Abril de 2014
RELACIONAMENTOS DEPENDEM DE ESCOLHAS E QUAIS FILMES SE QUER VER!

A INSUSTENTÁVEL LEVEZA DO SER: é complicadíssimo se relacionar sem compromisso ou mesmo sem envolvimento!

Atualmente as pessoas e predominantemente os homens, absolutamente vestidos, e não despidos, de qualquer ORGULHO E PRECONCEITO só se proporcionam relacionamentos rápidos e descartáveis! E, ainda que sejam apenas contatos descartáveis, preferencialmente também têm que ser sem envolvimento e principalmente sem compromisso. Tudo como se não houvesse necessidade de RAZÃO E SENSIBILIDADE.

Dentro de um cenário onde parece que se entende “sexo oposto” como sendo o sexo oponente, se estabelece uma série de artimanhas com o intuito de camuflar, ludibriar, enganar, iludir, derrubar e derrotar a outra parte. Nesse ambiente que poderia ser de CRIME E CASTIGO, há o prêmio que é a conquista do objetivo e o castigo é o desaparecimento do campo de batalha, deixando a outra parte atordoada e sem saber o que aconteceu. Mas só a outra parte é que não sabe o que aconteceu, porque a platéia sabe direitinho quem são os atores, os coadjuvantes, os figurantes, o enredo e o provável grande final, quando CAI O PANO!

O que seria cômico se não fosse trágico, é que, quase sempre, uma das partes intencionalmente resolve fazer o papel de ingênua e incorpora tão bem a personagem representando o papel de cega que, até a platéia chega a duvidar se de fato aquilo está acontecendo. A impressão que se tem é que qualquer pessoa serve, como se nunca houvesse O FIO DA SUSPEITA.

Sobre a outra pessoa, tem quem não se interesse por saber nada. Também tem quem não pergunte nada. Ainda tem quem faz perguntas banais e faz de conta que escuta as respostas, mas às vezes não lembra sequer o nome da pessoa com quem está conversando. Por quê? Porque o conteúdo (se existe) da outra parte não importa! Na verdade, o importante é só o objetivo final! E todos sabem qual é esse objetivo...

Nessa disponibilidade toda, o pior é que muitas vezes não tem graça mesmo! No reino animal, a natureza e o INSTINTO SELVAGEM colocam o mais forte fisicamente, na posição de tocaia e à espreita para surpreender, dar o bote, se lançar, perseguir, derrubar, agarrar e devorar a caça. Mas se a caça não corre e, ao contrário, se oferece ao predador, então ele até a devora, mas sempre ficará faltando a parte mais interessante, desafiadora e natural do processo.

E quando uma das partes mesmo já tendo compromisso com outra pessoa se aventura com alguém?

Claro que nesse contexto ninguém seria tão bobo de pensar que a partir desse começo, mas sem nenhum princípio, que qualquer um dos dois é confiável.

E quando os personagens proporcionam gratuitamente cenas “calientes” e íntimas para a platéia assistir em locais públicos? Ninguém esquece cenas assim e daí vem a origem da expressão “queimar o filme”.

Dentro desses cenários, onde os personagens se propõem a interpretar papeis esdrúxulos, depois não cabe: se revoltar, falar palavrão, xingar, chorar, reclamar, se lamentar, fazer o tipo ofendido, acusar nas redes sociais, escandalizar ou ameaçar! Fazer isso é gafe que ninguém merece ver, ouvir ou participar!

Quando esse é o enredo e se algo der errado, só cabem duas atitudes: desaparecer por um bom tempo até a platéia esquecer dos personagens ou se mudar de cidade!

Todos sabem que paixões e relações ao estilo ATRAÇÃO FATAL e movidas a muita adrenalina costumam terminar nas páginas policiais!

É A VIDA COMO ELA É!

Assunto: Atitudes e Comportamentos

Voltar
Etiqueta Social - Pronta para usar

JOSUÉ INDICA: