Namoro e Atitudes

Quinta-Feira, 06 de Junho de 2013
Namoro e Atitudes

Quando as pessoas namoram, de alguma forma estão estabelecendo um compromisso e um acordo, tácito ou explícito de que os dois serão atenciosos, presentes, carinhosos, respeitosos, fiéis, companheiros e que a relação será de extrema confiança entre as partes.

Para não haver desgastes, algumas gafes ou deslizes devem ser evitados. Por exemplo:

Esquecer que a educação, a gentileza e o respeito não são restritos ao momento da conquista e que devem permanecer durante todo o relacionamento.

Abrir a porta do carro, puxar a cadeira para a mulher sentar, mandar flores e outras gentilezas, por exemplo, valorizam a qualidade do namoro e, na verdade, nem deveriam compor um diferencial e sim constituir um referencial permanente e obrigatório entre pessoas que namoram.

Não ser pontual é desrespeitoso, irresponsável e irritante. Além disso é gafe!

Em contrapartida, também é gafe passar o dia todo mandando torpedos ou fazendo ligações demoradas no celular, primeiro, porque é caro, segundo, porque atrapalha a rotina e, terceiro, porque fica com jeito de radar fazendo controle de vôos. Tudo deve ter equilíbrio e bom senso.

Quem namora usa o tempo disponível ou de lazer para estar junto à pessoa amada: cinema, teatro, shoppings, restaurantes, bares e baladas, são opções. Não frequentar esses lugares e se encontrar apenas para se pegar, lamentavelmente, não é namoro, é mesmo só pegação! Têm pessoas que se namoram mas não querem queimar o filme e vivem se escondendo do olhar dos outros. Isso não é namoro, é gafe.

Em restaurantes e bares o casal senta-se de frente e conversa. Sentar lado a lado acaba com a conversa e obriga a ambos a girar a cabeça o tempo todo. O pior ainda pode acontecer: a mulher deitar a cabecinha no ombro do namorado! É gafe!

Interromper uma conversa para atender ao celular é grosseiro, irritante e acaba com a motivação do encontro. Regra: saiu a dois para namorar, é melhor desligar o celular. É ridículo e explode a paciência quando alguém atende ao celular e o acompanhante tem que fazer de conta que não está prestando atenção e ainda tem que fazer cara de paisagem olhando para o teto. É uma afronta alguém interromper um assunto ou uma conversa com quem está próximo, para falar com alguém que, muitas vezes, está a quilômetros de distância.

É gafe não retribuir gentilezas recebidas: se alguém ganhar uma camisa, um tênis, uma garrafa de vinho ou uísque retribui com flores, livros ou um perfume. Ganhar, gostar e não retribuir soa como aproveitação. É gafe!

Quando as pessoas começam a namorar, às vezes, elas não gostam como a outra pessoa se veste ou se comporta. Aí vem a ideia de que depois de algum tempo de namoro, se conseguirá que a outra pessoa mude e que se vai deixá-la do jeitinho certo. É gafe! Ora, se a pessoa não corresponde à imagem que se gostaria, simplesmente não se namora. Normalmente, cada pessoa é o que é e dificilmente mudará porque a outra pessoa quer que ela mude.

Cena de ciúme em público é gafe imperdoável. Se alguém observar a cara metade flertando com outra pessoa, mesmo que se fique triste, não se chora e, se ficar com raiva não se faz escândalo e não se agride. É gafe que ninguém merece. É melhor fingir que se vai ao toalete e se desaparece! Aliás, levar sempre o dinheiro para o táxi evita ficar à mercê de uma companhia que se torne desagradável.

Investigar e questionar nomes e ligações do celular do outro, é invasão de privacidade, falta de confiança e desrespeito à individualidade. Não é só gafe. É baixaria mesmo!

Usar aquelas “aliancinhas” de compromisso, só pode quando ambos são adolescentes. Aliás, qualquer aliança só deveria ser usada por quem tem cacife para bancar o compromisso. É mais honesto! Afinal, é assim que funciona sempre, até quando se vai adquirir um bem: ou se prova que tem condição ou não adquire nada!

Namorar é tão bom que dispensa plateia e os olhares indiscretos dos outros. Se alguém estiver com muita vontade de pegar mais forte, não deve esquecer que há hora e lugar para isso. Proporcionar espetáculos gratuitos com cenas quentes em público é burrice e também é gafe.

Cuidados especiais: quem namora, principalmente quando estiver em companhia da cara metade, não abusa de decotes, transparências, micros-qualquer coisa, acessórios exagerados ou maquiagem excessiva. Nenhum dos dois deve ser espalhafatoso em nada. Também não se exagera nos perfumes e, muito menos, se usam perfumes frutais à noite. Jantar com alguém recendendo odores de pêssegos, morangos, maçãs e similares, pode causar náuseas. É gafe! Melhor escolher os leves e cítricos para o dia e os clássicos amadeirados para a noite.

Cuidado obrigatório: nunca permitir fotografias ou filmagens com exposições de nudez ou intimidades. Por todos os motivos... Ninguém vale esse risco!

Quando o namoro termina, podem-se devolver as fotos, cartas e bilhetes. Os presentes não precisam ser devolvidos. Afinal, quem deu, deu porque quis e porque a outra pessoa merecia. Forçar a barra para pegar os presentes de volta, é gafe!

Assunto: Atitudes e Comportamentos

Voltar
Etiqueta Social - Pronta para usar

JOSUÉ INDICA: