Cartões Profissionais

Quinta-Feira, 06 de Junho de 2013
Cartões Profissionais

Todos os profissionais devem ter!

Quem tem, deve saber usar!


Os cartões profissionais representam a pessoa e sua imagem nos ambientes profissionais e sociais.

Eles são essenciais, principalmente no mundo corporativo, servindo para identificar e localizar as pessoas.

Mesmo com todas essas referências, muitas pessoas não sabem como preencher o seu conteúdo e, até como entregar e receber esses cartões.

Algumas pessoas optam por não ter cartões profissionais, pensando que eles são dispensáveis. Na verdade é impróprio, inadequado e deselegante não portar cartões e pedir que alguém anote o seu nome, endereço ou número de telefone. Receber cartão e não ter para retribuir é gafe e desmerece as pessoas e os profissionais, que serão vistos como desatentos, desatenciosos e mal-educados.

Dessa forma é muito importante que algumas recomendações e alguns requisitos sejam devidamente observados:

- Devem ser confeccionados no máximo em duas cores e em papel de ótima qualidade, pois representam o portador, no caso: você!

- Devem conter somente as informações necessárias ou indispensáveis e ser confeccionados em tamanho padrão (8,5 cm x 5,0 cm), facilitando guardar na carteira.

- Devem conter sete ou no máximo oito linhas, que são suficientes para todas as informações:

1. No cabeçalho, na primeira linha superior, indica-se a empresa ou a instituição. Na segunda linha superior, cita-se o departamento e, no máximo, na terceira linha, identifica-se o setor de trabalho. Para que não se ultrapasse de forma alguma a terceira linha, pode se recorrer a logotipos ou escudos em tamanhos discretíssimos para situar em qual contexto está inserida a empresa ou instituição. Ao se optar pelo uso de logotipos ou similares, é completamente dispensável usar tamanhos exagerados ou desproporcionais.

Como se percebe, a ideia é que o cabeçalho não tenha mais do que três linhas. Passar da terceira linha, retira a importância do cargo, da função e da pessoa!

2. No centro do cartão, a primeira linha contém a informação mais importante e, que por isso normalmente é negritada: o nome do portador! E, na segunda linha, coloca-se o cargo e a função.

3. Finalmente, na parte inferior do cartão, em duas linhas, com letras levemente menores, indica-se o endereço, o e-mail e o número do telefone profissional. Jamais se colocam o número do telefone ou informações pessoais em cartões profissionais. Não é elegante e nem sensato, pois o uso indevido dessas informações pessoais pode causar incômodos e exposições desnecessárias.

- Em resumo, o que deve ser inserido no conteúdo do cartão profissional é só aquilo que interessa para localizar a pessoa: empresa ou instituição, departamento, setor de trabalho, nome, função e endereço de contato. O excesso de informações polui e reduz o interesse pela pessoa, pelo cargo e pela leitura do cartão.


Atitudes e posturas ao entregar e receber cartões profissionais:

- Os cartões sempre devem estar no bolso ou carteira para serem entregues nos encontros pessoais, profissionais ou sociais em que há interesse em um novo contato.

- Os cartões representam as pessoas e, assim, por motivos óbvios, não devem ser retirados ou guardados nos bolsos da frente ou de trás das calças! Ninguém gostaria de ver, em seguida à entrega do cartão, alguém sentar sobre ele, ou seja, sobre você! O bolso correto para guardá-los ou retirá-los é o bolsinho superior das camisas. Quando se estiver usando paletós, túnicas, casacos ou jaquetas, utilizam-se para isso os bolsos internos.

- Ao entregar o cartão, ele deve estar preso pelo ângulo superior direito, entre os dedos polegar e indicador. Sugere-se mostrar e entregar o cartão, à altura do peito do interlocutor, de maneira a estimular a olhar e ler o texto imediatamente. Entregar o cartão numa altura ou posição baixa, desestimula a leitura imediata e depois o interlocutor pode esquecer de quem recebeu o cartão. Em alguns países e algumas outras culturas, no momento de entregar ou receber o cartão profissional, deve-se segurar o cartão entre os dedos polegares e indicadores das duas mãos, com leve inclinação da cabeça, mostrando-se a devida reverência.

- Receber cartão e não ter para retribuir é gafe! Pedem-se desculpas e para anotar o número do telefone, mencionando-se que depois se entrará em contato. Tem que ser e parecer gentil!

- O melhor momento para se entregar cartões profissionais, em pequenos grupos, é no início do contato. Agir assim, permite memorizar mais rapidamente qual é a empresa, o nome e a função. Dessa forma, ainda se evita a deselegância de ficar perguntando o tempo todo qual é mesmo o nome ou a função do interlocutor.

- Em grupos, com mais de oito pessoas, é melhor entregar o cartão profissional ao final do contato, quando já se identificou a quem realmente interessa ou convém entregar o cartão.

- Constata-se, então, que entregar cartões profissionais a esmo ou sem razão, causa a impressão que você também está sem motivos e não tem importância!

É simples assim: na vida e no trabalho a elegância depende das atitudes.

Assunto: Ambientes Profissionais

Voltar
Etiqueta Social - Pronta para usar

JOSUÉ INDICA: