PERIGUETES! O CORPO E A CABEÇA

Quinta-Feira, 06 de Junho de 2013
PERIGUETES! O CORPO E  A CABEÇA

É interessante constatar como as lojas que vendem roupas, na quase totalidade das vezes, não sabem identificar qual a sua modalidade, as ocasiões ou situações que elas podem ser usadas.

Principalmente, no que se refere ao vestuário feminino, inúmeras lojas anunciam e vendem trajes denominando-os genericamente de “roupas de festas”. E, as pessoas desinformadas, pensam que qualquer roupa para festas servem para qualquer evento. É um absurdo!

Na verdade, existem ocasiões festivas absolutamente formais e outras que são informais. Existem ocasiões solenes e outras nem tão cerimoniosas. Além disso, existem eventos que ocorrem durante o dia e outros à noite. Como se pode concluir, as roupas se diferenciam no seu uso conforme as ocasiões e as situações.

À noite, quando as pessoas saem para o lazer, o divertimento, os compromissos sociais ou profissionais, têm que pensar: “com qual roupa eu vou?”.

A opção deveria ser pela roupa certa, indicada ou recomendada. Porém, muita gente escolhe aquela que pensa ser a que a deixa mais bonita ou atraente, quando deveria escolher a que seria a correta e, portanto, elegante.

A prioridade da escolha deve recair sempre sobre a roupa certa: social? Esporte fino? Esporte? De fato, dentre essas modalidade, uma terá que ser a alternativa obrigatória.

E, os modelos? Nesse quesito, regra geral, infelizmente, as pessoas escolhem pelo que proporciona maior atração física.

Assim, o que se vê por aí, mesmo em ocasiões mais formais e solenes, são as mocinhas com roupas periguetes, com saias e vestidos curtos demais nas pernas, quase na linha final das nádegas e peitos (geralmente) siliconados, em grande evidência. É vulgar e é gafe!

Em quais ocasiões essa escolha feminina é mais mal vista? Em casamentos!

Todos sabem que a mulher do dia ou da noite no casamento, é apenas e exclusivamente a noiva! E, sem concorrência! A noiva sempre será vista como a rainha da festa.

Pessoas vestidas como periguetes, em ocasiões formais ou solenes, representam além do mau gosto, uma afronta à elegância.

No fundo, bem lá no fundo, todos sabem que as pessoas se incomodam quando alguém mostra demais o corpo. Os olhares dirigidos, mesmo sem intenção, acabam sendo indiscretos.

E, os homens? Estes quando querem colocar o corpo em evidência, escolhem calças muito justas, às vezes até apertadas com t-shirts agarradíssimas, no estilo baby look. Por quê?

Provavelmente, para permitir a visualização dos seus músculos e de suas tatuagens. De que vale tudo isso? Ninguém se torna mais interessante por exagerar na exposição do seu corpo.

Todos sabem a verdade! As pessoas admiram e ficam com aquelas que causam admiração pelo seu conteúdo. Escolhem aquelas que inspiram admiração e confiança que representam as bases para futuros compromissos.

As pessoas tornam-se interessantes pelo que elas são e, muito, também, pelo que elas parecem ser. É a velha história: não basta a mulher de César ser honesta, ela tem que parecer honesta.

É simples assim e é assim que funciona.

Assunto: Atitudes e Comportamentos

Voltar
Etiqueta Social - Pronta para usar

JOSUÉ INDICA: