APRESENTAR PESSOAS: EXIGE INTELIGÊNCIA E COMPETÊNCIA!

Quinta-Feira, 06 de Junho de 2013
APRESENTAR PESSOAS: EXIGE INTELIGÊNCIA E COMPETÊNCIA!

Apresentar as pessoas de maneira educada e correta é um passo importante para criar simpatia, interesse e afinidade entre os apresentados. Ao proceder incorretamente, o apresentador limita a ação, a atitude e a aproximação das pessoas, criando constrangimentos.

Profissionalmente e socialmente se espera que gente educada e inteligente saiba apresentar pessoas.
No momento de apresentá-las jamais se diz apenas este é o fulano e este é o sicrano, como se referisse a uma mesa, a um prédio ou a um objeto qualquer. Proceder assim deixa as pessoas sem iniciativa quanto a quem cabe estender a mão. Ao apresentar ou ser apresentado às pessoas, a regra básica é olhar para a mais importante e dizer a ela “apresento-lhe fulano de tal”. Dessa forma, caberá à pessoa mais importante definir a forma e o nível de intimidade do cumprimento. Assim, também se evita que o menos importante se empolgue e aja com indiscrição para com quem lhe está sendo apresentado. É simples e funciona!

Em resumo: ao apresentarem-se pessoas deve-se dirigir e olhar para a mais importante e claramente dizer: apresento-lhe o fulano e, se for oportuno, acrescentar o cargo ou função que o apresentado ocupa. Agir assim, corretamente, proporciona toda a liberdade para o mais importante proceder com maior ou menor formalidade no contato, inclusive decidindo se estenderá a mão ou se apenas inclinará a cabeça.

Tecnicamente, no ambiente profissional, pela ordem, o mais importante é aquele que ocupa o maior cargo; no caso de equivalência de cargo, a precedência é do mais idoso e, por terceiro (e último), o sexo feminino precede o masculino. Para realizar a apresentação entre pessoas com naturalidade e espontaneidade, deve-se treinar, principalmente, o uso do verbo “apresentar”. Pode parecer insignificante, mas faz enorme diferença.

Os apresentados, mutuamente, devem dizer: como vai? Neste momento, evita-se o uso da expressão “prazer”, por dois motivos: primeiro, porque algumas vezes se esquece a fisionomia de pessoas que já foram anteriormente apresentadas. E, se já houve apresentação anterior, o uso da expressão “como vai” faz com que o interlocutor não perceba que não foi reconhecido. Segundo, porque é parece desinteligente e incoerente dizer “prazer” para alguém que acabou de se conhecer e já se ter naquele breve instante a opinião de que o contato será prazeroso. Será?

Assunto: Atitudes e Comportamentos

Voltar
Etiqueta Social - Pronta para usar

JOSUÉ INDICA: